a-importancia-do-exame-oftalmologico-241

DMRI - Degeneração Macular Relacionada a Idade

O que é?

Atingindo, normalmente, pessoas acima de 55 anos, a DMRI acomete a retina, parte posterior do olho, levando ao processo degenerativo da mácula, região responsável pela visão central, onde são definidas as formas, cores e rostos, e por 90% da informação visual para o cérebro.

Esta doença ocular, considerada uma das principais causas de cegueira no mundo, destrói a visão central e diminui a qualidade de vida de seus portadores.

Sintomas

Estágio inicial: no início, o paciente percebe a diminuição do contraste, tendo a impressão de estar faltando luz, e tem dificuldade de ler e escrever.

Estágio avançado: com a evolução da doença, as imagens tornam-se embaçadas e amareladas, e as linhas retas, como as das portas, por exemplo, ficam deformadas. Por fim, uma mancha vai se formando na visão central.

Tratamento

A suspeita diagnóstica pode ser feita pelo próprio paciente, por meio da tela de Amsler (tela quadriculada e com um ponto central, utilizada para verificar se há deformidade das linhas). Em seguida, confirmando a alteração, a pessoa deve procurar um oftalmologista, que poderá solicitar um exame para avaliar a circulação.

Outro método é o exame OCT (tomografia de coerência óptica), que vai avaliar as camadas da retina, detectando atrofia, hemorragia ou vasos anômalos, para orientação terapêutica.

O tratamento não visa a recuperação da visão, mas, sim, evitar a progressão da doença. Entretanto, a DMRI afeta apenas a parte central do campo visual, não acometendo o periférico, o que impede a perda total da visão.

Dica Dra. Bruna

  • Não há uma forma comprovada de prevenção da DMRI, entretanto, manter hábitos saudáveis e praticar atividades físicas regularmente ajuda a reduzir o risco de surgimento e desenvolvimento da doença.

Horário de funcionamento

Segunda a Sexta - 08:00 às 18:00

Sábado - Fechado

 

Domingo - Fechado

Dra. Bruna Vilella -  Oftalmologia